Engenharia Física

Bacharelado

Apresentação

Facebook: Engenharia Física - UEMS        Youtube: Engenharia Física UEMS        Últimas Notícias

 

Identificação do Curso

  • Modalidade: Bacharelado
  • Habilitação: Bacharel em Engenharia Física
  • Regime de Oferta: Presencial
  • Turno de Funcionamento: Integral
  • Forma de Organização: Seriado Anual com Disciplinas Semestrais
  • Duração: Mínima de 5 anos e Máxima de 8 anos
  • Carga Horária Total: 4143 horas
  • Número de Vagas: 40
  • Conceito ENADE: 3 (avaliado em 2017)

 

Infraestrutura

  • Salas de Aulas;
  • FABLAB SENAI-UEMS (Laboratório de Fabricação e Prototipagem Rápida);
  • Laboratórios e Oficina Mecânica do SENAI-Dourados (Convênio SENAI-UEMS);
  • Laboratório de Eletrônica/Automação e Controle;
  • Laboratório de Física Básica;
  • Laboratório de Física Moderna;
  • Laboratório de Computação;
  • Laboratório de Química;
  • Laboratório Multiuso de Biologia;
  • Laboratório de Pesquisa CERNA/CInAM;
  • Laboratório de Pesquisa CERNA/CPBio;
  • Laboratório de Pesquisa CPMat;
  • Biblioteca Central;
  • Anfiteatros.

 

Criação, Reconhecimento e Título Profissional

O curso de Engenharia Física, bacharelado, da UEMS teve sua criação homologada através da Resolução Conjunta COUNI/CEPE-UEMS nº 033, de 08 de julho de 2009 (Publicado em DOEMS nº 7.505, de 22 de julho de 2009, p. 18), tendo seu funcionamento efetivado em 2010 com o ingresso da primeira turma de alunos. O seu projeto pedagógico inicial foi estabelecido pela Deliberação CE/CEPE-UEMS nº 176, de 30 de novembro de 2009 e homologado pela Resolução Conjunta COUNI/CEPE-UEMS nº 930, de 22 de fevereiro de 2010 (Publicado em DOEMS nº 7.658, de 08 de março de 2010, p. 27). Este projeto encontra-se reformulado através da Deliberação CE/CEPE-UEMS nº 286, de 30 de outrubro de 2018. O curso possui reconhecimento junto ao Conselho Estadual de Educação do Mato Grosso do Sul até 31 de dezembro de 2020, sendo este homologado através da Deliberação CEE/MS nº 11.519, de 03 de dezembro de 2018 (Publicado em DOEMS nº 9.800, de 13 de dezembro de 2018, p. 04). Atualmente, alunos egressos do curso poderão solicitar junto ao CREA/MS o Título Profissional de Engenheiro em Eletrônica, com atribuições do artigo 9º da Resolução nº 218/73 do CONFEA, nas atividades descritas, logo a seguir, em competências e habilidades específicas, itens V a XIV.

 

Objetivo Geral

O curso de Engenharia Física, bacharelado, da UEMS tem como objetivo geral formar engenheiros que possam atuar de maneira inovadora, empreendedora e gerencial, nas soluções de problemas, produção, manutenção, desenvolvimento e gestão de tecnologias, visando atender demandas globais e priorizando as do Estado de Mato Grosso do Sul. Profissionais generalistas, éticos e responsáveis que atendam ao pretendido em termos das suas competências e habilidades com conhecimentos técnicos e científicos nas áreas de Física, Química, Matemática, Mecânica, Eletrônica, Computação, Automação, Administração, visando a realização de atividades ligadas ao desenvolvimento de elementos, sistemas e processos, intrumentação e ao domínio de técnicas experimentais de análise e caracterização de materiais. Além disto, formar profissionais que considerem em suas decisões e ações os aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais, culturais sem discriminação e sejam comprometidos com a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável.

Nesse contexto, para o desenvolvimento da formação almejada, um profissional Engenheiro Projetista e Inovador, bem como Empreendedor e Gestor, o curso de Engenharia Física, bacharelado, da UEMS apresenta uma estrutura curricular composta pelos seguintes componentes curriculares: Disciplinas Obrigatórias, Disciplinas Optativas, Atividades Complementares, Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório e Não Obrigatório, e Trabalho de Conclusão de Curso. Com exceção das Disciplinas Optativas e Estágio Curricular Supervisionado Não Obrigatório, os demais componentes curriculares são de realização obrigatória pelo aluno do curso para a sua formação segundo o perfil do profissional egresso pretendido e o desenvolvimento de competências e habilidades.

 

Áreas de Atuação

Devido a uma formação com característica multidisciplinar, o Engenheiro Físico tem uma enorme possibilidade de inserção em diferentes setores do mercado de trabalho ou criando seus próprios negócios. Pode trabalhar tanto em indústrias, quanto no setores financeiro e de biotecnologia (por exemplo, indústrias de álcool instaladas e operacionalizando no Estado do MS). O Engenheiro Físico estará apto à pesquisa, ao desenvolvimento e ao apoio tecnológico, sendo capaz de introduzir/desenvolver, num contexto empresarial, novos processos e produtos de alto valor agregado, localizando/solucionando problemas das diversas áreas da tecnologia moderna, particularmente, daquelas de grande impacto tecnológico em que as Físicas Clássicas e Contemporâneas estejam envolvidas. O profissional em Engenharia Física pode, também, seguir carreira acadêmica em nível de mestrado e doutorado, tornando-se um pesquisador e professor no ensino superior.

 

Competências e Habilidades

As Diretrizes Curriculares Nacionais para Cursos de Graduação em Engenharia estabelece que a formação do engenheiro tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício de competências e habilidades gerais e específicas.

Dentre as competências e habilidades gerais estas podem ser resumidas em:

  1. analisar e compreender os usuários das soluções de engenharia e seu contexto, para formular as questões de engenharia e conceber soluções desejáveis;
  2. analisar e compreender os fenômenos físicos e químicos por meio de modelos matemáticos, computacionais ou físicos, validados por experimentação;
  3. conceber, projetar e analisar sistemas, produtos (bens e serviços) componentes ou processos;
  4. implantar as soluções de Engenharia considerando os aspectos técnicos, sociais, legais, econômicos e ambientais;
  5. comunicar-se efetivamente e eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
  6. trabalhar e liderar equipes multidisciplinares;
  7. interpretar e aplicar com ética a legislação e os atos normativos no âmbito do exercício da profissão;
  8. aprender de forma autônoma, para lidar com situações e contextos complexos, atualizando-se em relação aos avanços da ciência e da tecnologia.

Além das competências e habilidades gerais, o curso de Engenharia Física, bacharelado, pretende conferir aos egressos a seguintes competências e habilidades específicas:

  1. utilizar a matemática como uma linguagem para a expressão e modelagem dos fenômenos naturais, identificando seus domínios de validade;
  2. utilizar linguagem científica na expressão de conceitos físicos, na descrição de procedimentos de trabalhos científicos e na divulgação de seus resultados;
  3. utilizar os diversos recursos da informática, dispondo de noções de linguagem computacional;
  4. capacidade de resolver problemas em diferentes setores da engenharia através de uma visão global e multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, atuando com flexibilidade e criatividade face aos diferentes contextos organizacionais e sociais;
  5. realizar pesquisas científicas e tecnológicas nas várias áreas da Física ou a ela relacionadas;
  6. aplicar princípios, conceitos e métodos da Física em atividades científicas e produtivas (agropecuária, meio ambiente, indústria, saúde, etc.);
  7. no âmbito da sua especialidade, projetar e desenvolver máquinas, equipamentos e sistemas de computação, de instrumentação e automação científica e industrial, de energia, de proteção de meio ambiente, de equipamentos para atendimento à saúde, de telecomunicações, entre outros que envolvam as várias áreas da Física;
  8. projetar e desenvolver softwares e hardwares computacionais para aquisição, processamento, armazenamento e gestão de dados e informações, e controle automatizado de sistemas;
  9. elaborar documentação técnica e científica, realizando perícias, emitindo e assinando laudos técnicos e pareceres, organizando procedimentos operacionais, de segurança, de análise de impacto ambiental, redigir documentação instrumental e de aplicativos no que couber sua qualificação;
  10. difundir conhecimentos da área, orientando trabalhos técnicos e científicos, ministrando palestras, seminários e cursos, organizando eventos científicos, treinando especialistas e técnicos;
  11. administrar, na sua área de atuação, atividades de pesquisa e produção científica e industrial, planejando, coordenando e executando pesquisas científicas e operação de sistemas e processos, auxiliando o planejamento de instalações, especificando equipamentos e infraestrutura, em instituições públicas e privadas;
  12. realizar medidas aplicando técnicas experimentais e de instrumentação, avaliando parâmetros em sistemas industriais e ambientais, aferindo equipamentos científicos e industriais, caracterizando materiais, realizando ensaios e testes, e desenvolvendo padrões metrológicos;
  13. orientar, dirigir, assessorar e prestar consultoria, no âmbito de sua especialidade;
  14. realizar direção de órgãos, departamento, seções, serviços, grupos ou setores atinentes à atuação profissional do Engenheiro Físico, na Administração Pública, em entidades autárquicas, e em empresas, públicas e privadas.

 

Coordenação

  • Local de Atendimento: Sala da Coordenação da Engenharia Física (bloco F, piso superior)
  • Horário de Atendimento: 7h30 às 11h00 de segunda a sexta-feira                                   
  • Telefone: (67) 3902-2692

Coordenador

Coordenador Adjunto

 

Secretaria Acadêmica

Secretária

  • Amanda Verga Brumatti
  • E-mail: amanda.brumatti@uems.br
  • Local de Atendimento: Secretaria de Cursos de Graduação (bloco F, piso superior)
  • Horário de Atendimento: 8h00 às 10h00 e 14h00 às 15h00, de segunda a sexta-feira
  • Telefone: (67) 3902-2529

 

Colegiado de Curso

  • Composto pelos docentes do curso e representantes discentes

 

Comitê Docente Estruturante (CDE)

  • Prof. Dr. Paulo César de Souza (presidente)
  • Prof. Dr. Adriano Manoel dos Santos
  • Prof. Dr. Carlos Henrique Portezani
  • Profa. Dra. Cláudia Andréa Lima Cardoso
  • Prof. MSc. Daniel Cesar Braz
  • Prof. Dr. Juan Gabriel Paz Alegrias

 

Comissão de Estágio Curricular Supervisionado (COES)

  • Prof. Dr. Juan Gabriel Paz Alegrias (presidente)
  • Prof. Dr. Carlos Henrique Portezani
  • Profa. Dra. Marcia Moutinho
  • Prof. Dr. Paulo Cesar de Souza

 

Comissão de Trabalho de Conclusão de Curso (COTCC)

  • Prof. Dr. Adriano Manoel dos Santos (presidente)
  • Prof. Dr. Carlos Henrique Portezani
  • Prof. Dr. Juan Gabriel Paz Alegrias

 

Comissão de Autoavaliação do Curso (CA)

  • Prof. Dr. Adriano Manoel dos Santos (presidente)
  • Prof. Dr. Antonio Cesar Aguiar Pinto
  • Prof. Dr. Juan Gabriel Paz Alegrias
 

Comissão de Laboratórios (CLAB)

  • Prof. Dr. Carlos Henrique Portezani
  • Prof. Dr. Juan Gabriel Paz Alegrias
  • Prof. Dr. Paulo César de Souza

 

Centro Acadêmico do Curso   

  • E-mail: caengfis@gmail.com
  • Gustavo Vinícius da Silva (presidente)
  • Evandro Souza Silva (vice-presidente)
  • Matheus Bonfim de Almeida (tesoureiro)
  • Jordana Casagrande (secretária)
  • Pâmela Colombari Peron (coordenadora de assuntos estudantis)
  • Leonardo Gabriel Leite Santos (coordenador de eventos e esportes)
  • Giovanni Caramagno Tauil (suplente)
  • Matheus de Lima Moreno (suplente)
  • Naim de Oliveira Souza (suplente)

 

 




Notícias e Eventos
Professores
Disciplinas
Projeto Pedagógico
Estágio & TCC / Monografias
Fotos
Projetos do curso
Links, Arquivos e Publicações
Manual Acadêmico
Calendário Acadêmico