Letras Português-Inglês

Licenciatura

Apresentação

CONTATO

Avenida 11 de dezembro, 1425 - Vila Camisão - CEP: 79240-000

E-mail: letras.jardim@uems.br

Secretaria Acadêmica: (67) 3922-2001

Coordenação: (67) 3922-2005


1 - IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1.1 Curso: Curso de Licenciatura em Letras - Habilitação Português-Inglês.
1.2 Modalidade: Licenciatura.
1.3 Habilitação: Licenciado em Letras – Habilitação Português – Inglês.
1.4 Turno de Funcionamento: Noturno, com aulas de segunda a sexta-feira.
1.5 Local de Oferta: Unidade Universitária de Jardim.
1.6 Número de Vagas: 40 (quarenta).
1.7 Regime de Oferta: Presencial.
1.8 Forma de Organização: Seriado anual.
1.9 Total da Carga Horária: 3.719 (três mil, setecentas e dezenove) horas.
1.10 Tipo de Ingresso: Processo seletivo vigente na UEMS.

 

 

2 - DURAÇÃO DO CURSO

Período Mínimo para Integralização: 4 (quatro) anos.

Período Máximo para Integralização: 7 (sete) anos

 

3 - OBJETIVO GERAL

 

Proporcionar ao futuro profissional da área de Letras uma sólida formação científica que o prepare para lidar, de forma crítica, com as linguagens, especialmente a verbal, nos contextos oral e escrito, de modo a atuar de forma competente e crítica como professor, na Educação Básica, ou como pesquisador, crítico literário, tradutor, intérprete, revisor de texto, roteirista, assessor cultural, dentre outras atividades, mostrando-se flexível frente aos desafios de uma sociedade em constante mudança. O profissional formado em Letras deve ter domínio do uso da língua ou das línguas que sejam objeto de seus estudos, em termos de sua estrutura, funcionamento e manifestações culturais, além de ter consciência das variedades linguísticas e culturais em uso.

Deve ser capaz de refletir teoricamente sobre a linguagem, de fazer uso de novas tecnologias e de compreender sua formação profissional como processo contínuo, autônomo e permanente. A pesquisa e a extensão, além do ensino, devem articular-se neste
processo.

O profissional deve, ainda, ter capacidade de reflexão crítica sobre temas e questões relativas aos conhecimentos linguísticos e literários, demonstrando o domínio de conteúdos e metodologias diversas em conformidade com o complexo cenário da educação contemporânea.

JARDIM

População: 26.097 hab. (MS: 18º) – est. IBGE 2019

Densidade: 11,03 hab/km²

Distância até a Capital: 234 km

PIB : R$ 528.276,01 mil– IBGE/2017

IDH: 0,712  - Alto PNUD/2013

Região: Sudoeste de Mato Grosso do Sul IBGE/2008Fundação: 14 de maio de 1946


História

 

A história de Jardim tem sua origem ligada ao desenvolvimento e povoamento das terras do município de Bela Vista. Na guerra do Paraguai, quando as forças brasileiras efetuaram a célebre retirada da Laguna, José Francisco Lopes foi escolhido para guia da Laguna, por ser grande conhecedor da região; fundou, às margens do rio Miranda, uma fazenda de nome Jardim, onde se dedicou à pecuária. Na margem esquerda do rio Miranda, o guia Lopes faleceu; seu corpo foi enterrado no meio do acampamento, junto a coronéis e soldados mortos pela cólera morbo. Hoje, no município de Jardim, este local é chamado de Cemitério dos Heróis.

Em 1934, surgiu a necessidade da construção de uma rodovia que ligasse o município de Aquidauana a Porto Murtinho e Bela Vista, ambos na fronteira com o Paraguai. Em decorrência disso, a Comissão de Estradas de Rodagem nº 3 (C.E.R-3) encaminhou-se à região, decidindo-se, então pela compra de parte da Fazenda Jardim. O assentamento data de 14 de Maio de 1946 e foi criado para atender os servidores da Comissão. A escolha do local se deu a partir de considerações sobre a continuidade das obras do batalhão e da já existência do vilarejo de Guia Lopes (onde hoje é o município de Guia Lopes da Laguna) na margem esquerda do Rio Miranda, ficando acertada então a ocupação da margem direita do rio.

A partir do loteamento das terras e venda de lotes, o município iniciou sua estruturação geográfica e populacional. A data da assinatura da ata de entrega dos lotes é considerada a data de criação do município.

Seus primeiros moradores foram os operários da construção da rodovia, a qual permitiu ao município tornar-se uma cidade-polo e ter uma posição geográfica privilegiada. A ocupação progressiva da área se deu principalmente devido às terras férteis do local e aos bons campos.

Em 13 de setembro de 1948, foi criado o Distrito de Jardim, através da Lei nº. 119/48, e em 11 de dezembro de 1953, através da Lei nº. 6771/53, o então governador do Estado de Mato Grosso, Dr. Fernando Corrêa da Costa, criou o município de Jardim através da Lei nº. 6771/53, data comemorativa de sua emancipação política. Foi elevada a comarca em 15 de novembro de 1969.

Logo após o término da construção da rodovia, a CER-3 permaneceu na região, sendo extinta em 1986 e dando lugar à 4º Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada – Companhia Tenente Coronel Juvêncio, ligada ao Comando Militar do Oeste.

Atrações

O município possui uma extraordinária riqueza natural, principalmente as margens do Rio da Prata, com suas águas cristalinas, é um dos melhores locais da região para a prática da flutuação.

O Rio da Prata aguça a vontade do turista em conhecer o município, pelo encantamento com alta transparência de suas águas, como também poder deparar com as diversas colorações da fauna e flora encontradas no fundo do rio.

O artesanato também é um diferencial, pois o osso e madeira se transformam em objeto de arte. É um projeto social que promove a geração de renda, focada na conservação ambiental e no desenvolvimento sustentável. Conquistou o “Prêmio SEBRAE TOP 100 de Artesanato”, proporcionando orgulho aos munícipes e artesãos.

Possui tradição na realização de eventos de qualidade com um calendário diversificado, atraindo turistas nacionais e internacionais.

Destaca-se na região, por possuir produtos ímpares, como o estruturado Balneário Municipal, o deslumbrante Buraco das Araras e o maravilhoso Recanto Ecológico do Rio da Prata, atrativo premiado como “Melhor Atração do Brasil” pelo Guia Quatro Rodas, por dois anos consecutivos, 2008 e 2009, ficando a frente de destinos turísticos de grande vulto, como o arquipélago de Fernando de Noronha e das Cataratas de Foz do Iguaçu, entre muitos outros.

Possui ainda belíssimas áreas de camping para os que gostam de ficar em contato íntimo com a natureza e se desligar das atribulações da vida na cidade. Estes locais são propícios para acampar com os familiares, amigos e para a realização de retiros espirituais.

 












Notícias e Eventos
Professores
Disciplinas
Projeto Pedagógico
Estágio & TCC / Monografias
Fotos
Projetos do curso
Links e Arquivos
Publicações
Galeria de ex-professores
Manual Acadêmico
Calendário Acadêmico