Doutor da UEMS formado por convênio internacional passa a integrar equipe de aquicultura em Portugal

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 01/10/2018

O pesquisador faz parte de um projeto piloto que envolve investigadores portugueses e noruegueses

O convênio firmado entre a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e a Universidade de Aveiro (UA), em Portugal, com a parceria da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (FUNDECT), começa a gerar mais resultados. O segundo doutor formado pelo convênio, José Eduardo Costa de Freitas, foi integrado na equipe de pesquisa de um projeto pioneiro da Universidade de Aveiro em parceria com a empresa Seaculture S.A.

Trata-se de um projeto piloto que envolve investigadores portugueses e noruegueses. A aquicultura de salmão em mar aberto vai ser testada ao largo de Aveiro, por meio da empresa Seaculture S.A. A empresa promotora, que integra o grupo Jerônimo Martins, já apresentou requerimento para emissão de um título de utilização privativa do espaço marítimo português (TUPEM) para a instalação deste projeto piloto.

A Universidade de Aveiro está dando o apoio científico a esta iniciativa, a partir da Gafanha da Nazaré (no Munícipio de Ilhavo), onde está localizado o ECOMARE, o Laboratório para a Inovação e Sustentabilidade dos Recursos Biológicos Marinhos da UA. Neste local os juvenis de salmão serão, numa primeira fase, quarentenados e engordados até serem transferidos para a jaula de engorda em “offshore”.

Se os resultados do projeto piloto forem os esperados, poderá dar-se início a uma nova fileira ligada à produção de salmão “made in Portugal”, algo que irá certamente potenciar a indústria aquícola portuguesa. O grupo já tem investimentos idênticos na produção de dourada e robalo em aquicultura.

O Doutor Ricardo Calado, investigador principal da Universidade de Aveiro e orientador de doutorado do Dr. Eduardo Freitas, conjuntamente com o professor Dr. Amadeu Soares, professor catedrático da UA e diretor do Departamento de Biologia, coordenam a equipe de pesquisadores da UA e pretendem afirmar internacionalmente o posicionamento do ECOMARE como centro de excelência para a promoção de uma aquacultura inovadora e sustentável.

O convênio institucional entre a UEMS e a UA, com a parceria da FUNDECT, permitiu ao Dr. Eduardo Freitas capacitar-se para as funções que irá desempenhar neste projeto e ser integrado na equipe de pesquisa.

“Tive a oportunidade de realizar meu doutorado na Universidade de Aveiro com todo o suporte da FUNDECT e os projetos desenvolvidos na UEMS, unidade de Aquidauana, foram essenciais para adquirir diversos conhecimentos nas áreas da produção de espécies aquáticas, sistemas de suporte de vida avançados e outros. A oportunidade gerada pela UEMS também me proporcionou um crescimento profissional significativo e os frutos deste convênio podem ser vistos agora com minha participação na equipe de pesquisa de um projeto de grande importância para a aquicultura de Portugal, onde poderei aplicar os conhecimentos obtidos durante o doutorado e continuar pesquisando a aquicultura de espécies de grande interesse econômico como o salmão”, destacou Eduardo Freitas, que é  bolsista de investigação do projeto desde agosto de 2018.


Anexos: