Egresso da UEMS é o novo Secretário de Educação do MS

Por: Gisleine Rodrigues | Postado em: 12/01/2023

Secretário Hélio Daher / Reprodução Live SED

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) tem formado milhares de profissionais desde sua criação em diferentes áreas do conhecimento. Aproximadamente 20 mil graduados e mais de 1.200 egressos dos cursos e programas de pós-graduação da instituição têm promovido o desenvolvimento da sociedade em diversas partes do Brasil e do mundo.

Ao completar 30 anos em 2023, a universidade contabiliza mais um profissional que obteve destaque em sua área de atuação: o novo Secretário de Estado de Educação de MS (SED-MS), Hélio Queiroz Daher, egresso da pós-graduação Stricto Sensu – Mestrado Profissional em Educação, da Unidade Universitária da UEMS/Campo Grande.

Graduado em geografia, Hélio é professor efetivo da rede municipal de ensino de Campo Grande, além de ter desempenhado a docência em geografia nas redes municipal e estadual em Campo Grande. Também coordenou os setores da Secretaria Municipal de Educação (SEMED) e da Proteção e Defesa Civil da Prefeitura de Campo Grande. Bem como fez a gestão de setores da SED-MS, além de participar como membro da Comissão Técnica Nacional de Geografia do Programa Nacional do Livro e do Material Didático do Ministério da Educação, PNLD 2020.

Com vasta experiência na gestão educacional, o professor Hélio ainda dirigiu programas de alfabetização do Ministério da Educação (MEC), coordenou discussões da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) em Mato Grosso do Sul, foi superintendente de Políticas Educacionais da SED-MS e presidiu, até recentemente, o Conselho Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (CEE/MS), que tem como vice-presidente a vice-reitora da UEMS, profa. Dra. Celi Corrêa Neres.

Em entrevista com o novo secretário de estado de educação, prof. Me. Hélio Daher, nossa Assessoria abordou sobre a importância da educação para a formação da população de Mato Grosso do Sul e as expectativas de sua gestão à frente da SED-MS.


Secretário, pode discorrer sobre sua visão da importância da Educação para a formação da população de Mato Grosso do Sul?

Entendo que a educação diz respeito a um processo constante de compartilhamento e criação do conhecimento, assim como de busca da transformação da realidade pela ação-reflexão humana. Por esse prisma, a educação é relevante para a sociedade, pois ela contribui, transversal e potencialmente, para o desenvolvimento da subjetividade humana, para a transmissão e a reconstrução de conhecimentos e tecnologias e, em uma perspectiva ampliada, para a própria construção da vida pública (coletiva) embasada na ciência e na cultura dos direitos humanos.

Na condição de secretário estadual da educação, tendo a ver essa pergunta à luz da compreensão do papel e do alcance da própria educação para sociedade brasileira. Sabe-se, todo ser humano tem direito à educação.  Isso está regulamentado no artigo 205 da Constituição Federal de 1988: "educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho". Na linha dessa compreensão, importa que a educação importe para toda a população brasileira.

Particularmente, para nós, importa que o serviço educacional público prestado pela rede estadual de ensino, que envolve 348 escolas em 79 cidades no Estado e 25 mil servidores (efetivos e contratados), seja eficiente e significativo para a vida de cerca de 190 mil estudantes e, por consequência, para suas famílias, suas comunidades, enfim, a população do MS.

Em nosso contexto e de forma concreta, parece-me fundamental considerar o seguinte: quanto mais eficazes e consistentes forem nossas políticas educacionais e seus resultados, no sentido de uma educação de qualidade e promotora da equidade e da democracia, tanto mais afirmadora será a percepção sobre a importância da educação por parte de nossa população e, por conseguinte, sua corresponsabilidade em relação à formação de crianças, jovens e adultos sul-mato-grossenses. 

Efetivamente, a importância da educação é uma construção coletiva, que demanda o compromisso de estudantes, professores, gestores e técnico-administrativos, unidades escolares, famílias, instituições educacionais… em vista da implementação de uma proposta educativa que contribua para a melhoria da qualidade de vida da população do nosso Estado.

"O impacto de uma educação de qualidade se reflete em dignidade, sustentabilidade, respeito às diferenças, razoabilidade e equidade".

(Foto: Assessoria SED-MS/Álvaro Rezende)

 

Qual o impacto de uma educação de qualidade em nossa sociedade?

Esta é uma questão duplamente complexa. Em um primeiro plano, é preciso definir o que é uma educação de qualidade, tendo em conta a especificidade e a diversidade das várias etapas e modalidades da educação. Aqui, lembro que a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) e o PNE (Plano Nacional de Educação) normatizam o direito à educação numa perspectiva de qualidade, e não simplesmente em termos de acesso à educação. Esse marco consigna que são fatores da qualidade na educação, por exemplo, a aprovação dos alunos e a média de desempenho nas avaliações do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), a formação continuada e a valorização dos professores, o uso de novas tecnologias aplicadas ao ensino, a promoção do protagonismo e autoria dos estudantes, a participação de pais e responsáveis nos processos de gestão escolar.

Nessa direção, cumpre à Secretaria a tarefa de mobilizar todas as estratégias possíveis no sentido de melhorar os índices de qualidade na educação em MS. Decerto, essa tarefa se tornou ainda mais prioritária para a atual gestão da SED, pois é imperioso enfrentarmos os desafios da recomposição da aprendizagem desde uma perspectiva de qualidade na educação em MS.

Resumidamente, compartilho a compreensão de que uma educação de qualidade é aquela que, em uma perspectiva emancipadora, viabiliza a formação do sujeito-cidadão capaz de sentir, pensar e agir de forma científica, crítica e ética, tendo em conta sua corresponsabilidade pela destinação de si, dos outros e do seu entorno.

Por sua vez, entendo que a resposta sobre esse impacto é experimentada: quanto mais a educação de qualidade é assegurada para todas as pessoas, respeitando as necessidades da sociodiversidade, maior é a probabilidade de a sociedade em geral desfrutar de outros direitos (moradia de qualidade, saúde de qualidade e assim por diante). Portanto, o impacto de uma educação de qualidade se reflete em dignidade, sustentabilidade, respeito às diferenças, razoabilidade e equidade nas relações humanas e com o mundo.


Além de professor da rede pública de ensino, o sr. também estudou em uma instituição de ensino superior pública durante a pós-graduação, na UEMS. Como foi sua experiência durante a formação no Mestrado Profissional em Educação (ProfEduc) da Universidade Estadual?

Foi uma experiência gratificante que, ao mesmo tempo, perdura como um desafio teórico-prático. No geral, a experiência de cursar uma pós-graduação stricto sensu é bastante exigente, pois implica o árduo trabalho intelectual de investigar, aprofundar e publicar a respeito de práticas socioculturais, conceitos, paradigmas teóricos, fundamentos históricos, sociológicos e filosóficos da educação, métodos de investigação científica relativos a fenômenos e contextos educacionais diversos. Entendo que se trata de uma experiência fundamental, na medida em que corresponde à necessária qualificação humanística e científica para o desempenho profissional no serviço educacional público.

Prefiro pensar que a conclusão do mestrado não fecha a trajetória de formação continuada, mas abre um novo ciclo, com novos questionamentos e desafios teórico-metodológicos, para pensar a política educacional a partir de minha práxis na educação.

Agora, como um egresso desse programa, cuja área de concentração é a “formação de educadores” e duas linhas de pesquisa (organização do Trabalho Didático e Formação de Professores, Culturas e Diversidade), reconheço que um dos frutos dessa experiência é ter internalizado o desafio de buscar a mediação entre teoria e prática em relação às metas e ações a serem implementadas pela SED-MS no rumo de uma pedagogia transformadora da organização do trabalho didático nas escolas estaduais.


Poderia destacar as principais metas do plano educacional da sua gestão, aquelas que o Senhor dá um maior destaque?

Ao vislumbrar uma pedagogia transformadora nas escolas da rede estadual de rnsino, intencionamos organizar um trabalho didático que posicione o estudante e sua aprendizagem no centro dos projetos e ações educacionais da Secretaria. Nesse contexto, importa planejar e implementar uma proposta pedagógica que promova o enfrentamento e a superação dos problemas emergentes da realidade econômica, social e cultural na qual os estudantes estejam inseridos. Isto posto, fica evidente a necessidade de priorizar ações voltadas à recomposição da aprendizagem, haja vista o agravo no déficit educacional provocado pelas medidas de combate à pandemia da Covid-19, como também investir na expansão da oferta de educação em tempo integral.

Esta última, por sua vez, além de constar das atuais políticas educacionais, como por exemplo o Plano Nacional de Educação (PNE) e a Reforma do Ensino Médio, tem se mostrado muito eficiente na promoção de um ensino que potencializa as relações humanas, a acolhida, a subjetividade dos sujeitos e o protagonismo da comunidade escolar, que são elementos fundamentais para a formação humana integral.

"Intencionamos organizar um trabalho didático que posicione o estudante e sua aprendizagem no centro dos projetos e ações educacionais".

(Foto: Assessoria SED-MS/Álvaro Rezende)


Como a educação pública de Mato Grosso do Sul no ensino superior será contemplada neste plano educacional, o papel estratégico das IES (Instituições de Ensino Superior) públicas?

Cada vez mais os professores são exigidos de competências docentes que os possibilitem implementar ações didáticas inovadoras e assertivas frente aos desafios da sociedade contemporânea, numa constante busca pela eficácia do processo ensino-aprendizagem no cenário das diferentes políticas educacionais. Nesse contexto, torna-se imprescindível a participação das IES públicas de Mato Grosso do Sul no plano educacional a ser implementado na rede estadual de ensino, haja vista os objetivos ora estabelecidos, em especial o êxito do trabalho docente na mediação e facilitação da aprendizagem dos estudantes.

A proposta é trazer as IES para dentro do processo de elaboração e atualização do currículo escolar, promovendo um espaço de construção coletiva e colaborativa da política educacional. Ainda, facilitar o acesso dessas instituições às escolas da rede estadual de ensino, de modo que a formação inicial docente, por elas desenvolvida, tenha maior aderência à realidade vivenciada pelas comunidades escolares. Em vista disso, entende-se que é relevante agir em prol da formalização de parcerias entre a Secretaria de Educação e as IES para o fortalecimento das ações de formação continuada junto aos professores em atividade na Rede.


Uma nova gestão sempre gera muitas expectativas na população, além de suas próprias expectativas como gestor. Portanto, quais as expectativas de seu trabalho à frente da Secretaria de Educação de MS?

É esperado que toda nova gestão educacional traga consigo propostas e projetos para a implementação dos trabalhos que são demandados pela rede de ensino, gerando com isso expectativas acerca dos resultados a serem alcançados. Certamente, não há de ser diferente neste ciclo que se inicia. Todavia, antes de implementarmos qualquer mudança na proposta pedagógica da Secretaria, entendo ser necessário manter a eficiência dos programas e projetos que iniciaram na gestão anterior e alcançaram bons resultados junto à aprendizagem dos estudantes. Isso é o que se almeja de uma boa política, a continuidade das ações que, de forma eficiente, entregam bons resultados à sociedade.

Outrossim, com a implementação do nosso plano educacional, temos a expectativa de melhorar a proficiência dos estudantes e o fluxo escolar em todas as unidades escolares da rede estadual de ensino do MS, promovendo um ensino comprometido e engajado com a formação integral dos sujeitos, com respeito à diversidade e, ao mesmo tempo, reconhecendo a singularidade e as diferenças de cada um, de modo que se estabeleça uma política capaz de garantir o acesso, a permanência e o sucesso escolar para todos.

Edição e Revisão: Rubens Urue.


Anexos: