Egresso da UEMS recebe moção do legislativo de Miranda por ações em comunidade indígena

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 13/03/2018

Leosmar juntos aos vereadores de Miranda

O egresso do curso de Ciências Biológicas, Leosmar Antônio, da unidade de Dourados, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), recebeu nesta terça-feira (13) a Moção de Aplauso da Câmara Municipal de Miranda. Ele é indígena da etnia Terena e desenvolve ações com foco em sustentabilidade em Miranda, nas Aldeias Cachoeirinha e Lalima.

O biólogo terminou o curso em 2011 e retornou para Miranda, onde passou a atuar na Rede Estadual de Ensino, lecionando para o Ensino Médio. Na escola, passou a incentivar os alunos a fortalecer o contato com a terra em atividades voltadas a agroecologia, recuperação de nascentes, revitalização de etnovariedades (recuperação de sementes antigas que estavam se perdendo), iniciativas sustentáveis e agroflorestais.

“É uma forma de dar mais autonomia para o agricultor, fortalecer o contato das crianças indígenas com a terra, a produzir o próprio alimento, cultivar e plantar. E grande parte das tecnologias que hoje repasso aos alunos foram aprendidas na formação na UEMS e como bolsista da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Essas são duas instituições muito importantes na minha formação”, ressalta.

O professor idealizou a Feira de Ciências e a Ação Comunitária na Escola, que já estão na 6ª edição. “A Feira de Ciências é resultado das pesquisas que os alunos desenvolvem ao longo do ano. É um diálogo dos conhecimentos indígenas Terena e da ciência da universidade. Na ação comunitária são oferecidos serviços como aferição de pressão e corte de cabelo. As duas ações acontecem no mesmo período, normalmente em outubro. O objetivo é levar a comunidade para a escola, para conhecer a produção dos alunos”, explicou.

Leosmar Antônio também projetou um evento inédito no Brasil, o Agroecoindígena que, teve a primeira edição em junho de 2016 (e a terá a próxima em 2019), com mais 1200 participantes, de seis etnias diferentes, de nove municípios de MS. Com o tema “Fortalecendo a Agroecologia em Terras Indígenas (TI) do Pantanal Sul-mato-grossense”, no Parque de Exposições em Miranda.

“As atividades deram certo e hoje esses trabalhos são divulgados em eventos regionais, nacionais e internacionais. Se tornaram referência no país, tanto que nos dias 20 de março e 26 de julho estudantes de mais de 20 países virão a Miranda para conhecer a experiência na escola”, destacou o egresso da UEMS que também é Mestre em Desenvolvimento Local em Contexto de Territorialidade pela Universidade Católica Dom Bosco.

Leosmar Antônio com as lideranças indígenas


Anexos: