Evento da UEMS discute desafios para o Ensino Superior em 2022

Por: Tatiane Queiroz | Postado em: 21/01/2022

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) promoveu, pela primeira vez, o "Encontro de Coordenadores(as) de Graduação e Pós-Graduação". O evento, em formato híbrido (presencial e com transmissão online) foi realizado nesta quinta (20) e sexta-feira (21), no novo auditório, em Dourados, com o objetivo de discutir as ações de Ensino, Pesquisa e Extensão. A temática deste ano englobou as perspectivas em torno do retorno das aulas presenciais para este ano e, também, o fortalecimento das políticas voltadas aos acadêmicos com o lançamento de Editais que visam garantir o acesso e a permanência dos estudantes ao Ensino Superior.

O evento, que passará a integrar o calendário oficial da Instituição, contou com apresentações das Pró-reitorias, com a entrega de veículos e com o lançamento de editais financiados pelo Governo de Mato Grosso do Sul. Os investimentos somam mais de R$ 14 milhões.

A abertura do evento contou com a presença do prof. Dr. Aldo Nelson Bona, presidente da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado do Paraná (Seti), que apresentou dados do Censo do Ensino Superior de 2019. A palestra foi mediada pela profa. Dra. Márcia Maria de Medeiros, da UEMS.

Bona iniciou sua fala detalhando brevemente o processo de implantação das Universidades estaduais do Paraná (PR). Em seguida, apresentou panoramas relativos aos desafios das Instituções de Ensino Superior (IES) públicas e o cenário destas com as IES privadas buscando uma reflexão crítica.  "Dos 8 milhões de estudantes do Ensino Superior na Educação brasileira em 2019, 80% cursam suas graduações na Educação privada e 20% na Educação pública. Destes matriculados, apenas 15% ingressaram em IES pública no ano de referência do Censo, enquanto que 85% optaram por IES privadas", demonstrou o palestrante por meio dos gráficos. Dos que concluíram a graduação no período, 80% saíram da IES privadas e 20% da pública.

O cenário analisado por Bona lança uma reflexão nos sentido da Universidade buscar aprimorar mecanismos institucionais para tornar o ensino superior público mais atraente a esses jovens estudantes. Um dos caminhos mais assertivos, de acordo com o palestrante, é ofertar uma pedagogia mais dinâmica e apoiar a permanência dos estudantes nas IES não-privadas. Nesse sentido, bolsas acadêmicas passam a ter importante peso de decisão de alunos/as, somado ao aumento da qualidade de ensino e acesso às universidades públicas.

Para o reitor Laércio Alves de Carvalho, o evento é uma oportunidade de interação para docentes e técnicos da Universidade. "É numa ocasião que oportuniza a coordenadores/as e gerentes de Unidade aqui presentes, que vieram até Dourados de diferentes localidades, compartilharem de informações e dados que apresentam as perspectivas para este ano de 2022, com o retorno das aulas presenciais. Nossa Universidade alcançou metas importantes em 2021, sempre com o apoio do Governo do Estado. E neste ano não é diferente. O Executivo Estadual vai investir milhões em bolsas de Ensino, Pesquisa e Extensão visando garantir apoio e permanência de nossos acadêmicos/as em nossa Universidade", ressalta Laércio.

Desafios para 2022
Sobre os desafios para a Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (PROPPI) em 2022, a pró-reitora Luciana Ferreira destaca que "o Acolhimento dos nossos alunos no retorno presencial e o trabalho com a sensibilização para projetos de inovação é o foco. Estamos para lançar um Edital de R$ 1 milhão que visa beneficiar grupos de pesquisa emergentes e consolidados. Esse recurso está sendo muito aguardado pela comunidade acadêmica e vai nos auxiliar e manter os índices da nossa produção científica. A pandemia impactou trabalhos desenvolvidos em laboratórios, devido ao distanciamento social ao longo de 2020 e 2021, todavia, os nossos pesquisadores mantiveram indicadores muito satisfatórios".

Responsável pela Pró-reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (PRODHS), Aguinaldo Lenine, explica que a pró-reitoria continuará a desenvolver trabalhos no sentido de buscar uma maior integração presencial junto a servidores das Unidades Universitárias. "Estaremos visitando diferentes locais, buscando sempre fortalecer o papel orientativo da PRODHS, no sentido de fornecer maior apoio e atendimento psicossocial e compartilhamento de informações sobre processos de vida funcional que muitos colegas ainda tem dúvidas. A pandemia trouxe desafios e aprendizados, nos reinventamos em diversos aspectos na dinâmica profissional no âmbito da Universidade", resumiu o pró-reitor.

A pró-reitora de Ensino (PROE), Maria José de Jesus Alves Cordeiro, "Maju", informa que neste ano de 2022, a PROE irá desenvolver trabalhos muito importantes como o diagnóstico que elencará demandas por vagas, evasão universitária e a questão de reprovação de acadêmicos/as. Esse levante busca o fortalecimento das políticas de graduação da UEMS Também vamos trabalhar, com diversas comissões, que irão analisar propostas de novos cursos, que serão estudados e apresentados aos Conselhos Superiores para discussão e votação", enfatizou Maju. De acordo com ela, o principal legado da pandemia foi o uso das tecnologias nos processos de ensino, que continuarão a ser utilizados, mesmo com o retorno das aulas presenciais. Depois dessa experiência, as possibilidade de usos destas tecnologias se demonstraram as mais diversas", disse a pró-reitora.

A Pró-reitora de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (PROEC), Erika Ferri, também indica que a principal demanda da Extensão Universitária e do Atendimento Estudantil na UEMS, após esse período de pandemia e atividades remotas, será "o acolhimento dos alunos e alunas para o retorno das aulas presenciais. Sabemos das dificuldades e atuaremos fortemente na biossegurança, no fortalecimento das políticas intitucionais para a implantação e a ampliação de recursos para bolsas e auxílios. Queremos circular nas Unidades e conhecer a realidade dos nossos alunos. Precisamos assegurar a permanência dos nossos alunos", afirmou a pró-reitora.

Para Robsom Amorim, à frente da Pró-reitoria de Administração e Planejamento (PROAP), o ano de 2022 será de muito trabalho e obras para a Universidade com o objetivo de consolidar, ainda mais, espaços de infraestrutura para a comunidade universitária . "Estão previstas, dentre outras obras, a construção de salas de aulas nas Unidades de Aquidauana, Cassilândia, Jardim, Nova Andradina e Paranaíba; em Dourados, teremos as obras do estacionamento do novo Auditório da Unidade de Dourados, o prédio próprio da Diretoria de Informática, mais 2 salas na Casa da Cultura e o tão aguardado Restaurante Universitário. Outra obra que vamos executar é a construção de 2 laboratórios na UEMS de Mundo Novo", informou o pró-reitor.

Texto e Fotos: Tatiane Queiroz e Rubens Urue - ACS/UEMS


Anexos: