Pesquisas de Técnico da UEMS com foco na preservação de espécies nativas e resistência de plantas à seca são destaque internacional

Por: Rubens Urue | Postado em: 28/09/2022

O técnico da UEMS, Renato Lustosa, desenvolve importantes pesquisas em nível internacional

A Universidade Estadual de Mato grosso do Sul (UEMS) tem se destacado pelo apoio a pesquisas em diferentes áreas do conhecimento e que acabam resultando em aprimoramentos de processos que retornam à sociedade. Um destes estudos, de autoria de um técnico da Instituição, o doutorando Renato Lustosa, tem apresentado resultados promissores na área florestal para preservação de espécies nativas. O estudo obteve destaque internacional, tendo sido publicado no periódico “Plants - MDPI”, uma importante referência internacional, com fator de impacto de 4,658.

Técnico da Unidade Universitária da UEMS de Parabaíba, Lustosa se afastou para capacitação dentro do Programa Institucional que a UEMS mantém para formação stricto sensu de seu quadro de servidores, tanto docentes quanto técnicos. A pesquisa recém-publicada teve início durante sua capacitação em nível de Mestrado e foi tema de sua dissertação sob orientação do prof. Dr. Tiago Zoz, atualmente docente da Unidade Universitária da UEMS de Mundo Novo.

“A partir da sua dissertação, e com o aprofundamento da linha de pesquisa, o artigo intitulado “Jatropha curcas L. as a Plant Model for Studies on Vegetative Propagation of Native Forest Plants” foi publicado no periódico “Plants”. A publicação é a coroação de um trabalho iniciado na UEMS mas, que ao longo do tempo pode contar com a colaboração de pesquisadores de universidades nacionais e internacionais, tais como, pesquisadores da Universidade Tecnológica Federal de Paraná; Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; Universidade de Antuérpia, na Bélgica e Universidade de Beni-Suef, no Egito; inclusive recebendo recursos da Arábia Saudita", informou Zoz.

Lustosa relata que a publicação é o resultado de um trabalho conjunto de pesquisadores em nível internacional e explicou que "a pesquisa surgida no mestrado foi ganhando corpo e agregando colaborações internacionais ao longo de meu doutorado. Fomos formando parcerias com diversas Universidades em nível nacional e internacional, por meio de seus colaboradores".

Pesquisas têm conquistado reconhecimento internacional e agregado parcerias com diversas instituições. O intercâmbio científico gera ganho para a ciência e para o desenvolvimento de atuação de trabalho do técnico.

Ele explica que a grande importância da pesquisa é desenvolver ferramentas que possibilitem a conservação das espécies florestais nativas. "Quando falamos de estudos de preservação de plantas nativas no Brasil, de um modo geral, a grande dificuldade durante a investigação é que estas pesquisas demoram muito tempo para se desenvolver e serem concluídas. Geralmente, as pesquisas demoram um tempo superior a 4 anos, que é o tempo que doutorandos estão vinculados aos Programas junto a seus orientadores".

O avanço dos estudos do técnico da UEMS, com um trabalho que obteve reconhecimento internacional, está no fato de apontar que o pinhão-manso, espécie de oleaginosa presente no cerrado brasileiro é um tipo de árvore, que pode fornecer valiosas informações para acelerar os estudos dessa natureza, em relação às espécimes florestais nacionais. "Sugerimos, por meio deste relato científico pioneiro na literatura internacional, que este tipo de planta pode servir como modelo nestes estudos temáticos. O estudo descreve as possibilidades de utilizar o pinhão-manso no desenvolvimento novas tecnologias para cultivos florestais, sendo possível obter rapidamente em 4 anos dados que de outra forma poderiam levar décadas para serem coletados, este é o grande impacto de nosso estudo", detalha Lustosa.

A pesquisa é um registro internacional promissor que aborda a utilização do pinhão-manso como planta modelo, capaz de acelerar os estudos na área florestal para preservação de espécies nativas. O trabalho pode ser acessado no seguinte link: https://www.mdpi.com/2223-7747/11/19/2457 .

Resumo gráfico do artigo científico “Jatropha curcas L. as a Plant Model for Studies on Vegetative Propagation of Native Forest Plants” publicado no periódico “Plants - MDPI”, de autoria de Renato Lustosa Sobrinho e colaboradores.

Doutorado na Bélgica

Renato concluiu o mestrado em Agronomia na Unidade Universitária da UEMS de Cassilândia no final de 2017 e iniciou o doutorado na Universidade da Antuérpia, na Bélgica, em 2019. A pesquisa dele, atualmente, é desenvolvida entre o Brasil e a Bélgica, por meio de parceria técnico-científica. No Brasil, seus estudos estão vinculados à Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), sob orientação da profa. Dra. Taciane Finatto e contam ainda com a colaboração e apoio do Dr. Tiago Zoz da UEMS de Mundo Novo, e dos pesquisadores da UNESP de Ilha Solteira, prof. Dr. Marcelo Carvalho Minhoto Teixeira Filho, e de seu doutorando Carlos Eduardo Oliveira, além do apoio do pós-doutor pela UFMS, Dr. Bruno Rodrigues de Oliveira. Na Europa, seu trabalho é desenvolvido na University of Antwerp, sob orientação dos professores. Dr. Gerrit Beemster e Hamada Abdelgawad.

Apesar das dificuldades impostas pela pandemia, que atrasaram o cronograma do projeto pesquisa, sua tese de doutorado tem obtido resultados interessantes e tem chamado a atenção da comunidade científica internacional.

As plantas de milho abaixo, cresceram em um ambiente simulando “seca” e receberam a mesma quantidade de água durante seu crescimento. As da esquerda apresentam uma boa condição porque foram tratadas com os microrganismos estudados por Renato em sua Tese, as da direita não receberam o tratamento. Devido aos resultados obtidos até o momento com sua tese de doutorado, o técnico da UEMS, foi convidado a submeter um projeto na mesma área para concorrer a uma bolsa de estudos do governo europeu.

Lustosa submeteu o projeto intitulado “Functional analysis of Brazilian endophytic to enhance maize production in current and future climate conditions”, que além dos pesquisadores já mencionados, conta com colaboração da Dra. Cristiane Paiva, desenvolvedora do primeiro produto biológico solubilizador de fósforo do Brasil - e da empresa Koppert do Brasil; o resultado da análise do projeto deve ser divulgado até dezembro.

Imagem do projeto de pesquisa de Renato Lustosa Sobrinho em desenvolvimento na Bélgica e Brasil: a aceleração de maturação vegetal pode fornecer valiosas informações para acelerar os estudos nessa área.

 

Importância do Programa Institucional de Capacitação

A UEMS possui o Programa de Capacitação dos Servidores, normatizado pela Resolução Conjunta COUNI/CEPE - UEMS nº 049, de 19 de novembro de 2009, com o de objetivo incentivar o aperfeiçoamento e a qualificação, como forma de promover o desenvolvimento profissional dos servidores efetivos, em atendimento às necessidades e metas institucionais.

Entre os objetivos específicos dentro deste programa, a Pró-reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (PRODHS) destaca o fortalecimento dos cursos de graduação, a possibilidade de intercâmbio com outras instituições, e o apoio a servidores em suas iniciativas de capacitação voltadas para o desenvolvimento das competências individuais e institucionais.

Lustosa reconhece que este programa “permite que o técnico possa se dedicar às atividades de desenvolvimento de pesquisa científica em âmbito nacional e internacional e, após essa capacitação, ele retorna para a Instituição com o conhecimento adquirido, especialmente, em outras línguas, utilizando metodologias de trabalho que são fruto da interação com diversos times de pesquisadores, além de formar redes de pesquisa científica que sempre agregam à Universidade, como um todo”, informou Lustosa.

Ele ainda acrescenta que aprendeu muito sobre uso de inteligência artificial para resolução de problemas complexos, e também sobre uso de linguagens de programação utilizadas em análise genética por meio de inteligência artificial “tudo isso pode ser utilizado para melhorias nos processos organizacionais dentro de minha área de atuação na UEMS, uma vez que minha função está relacionada à T.I.”, finaliza o doutorando Lustosa.


Anexos: