Prêmio Inova UEMS incentiva pesquisas de inovação em diversas áreas

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 20/05/2020

A primeira edição do Prêmio Inova-UEMS, idealizado pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (PROPPI) juntamente com o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT-UEMS), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), tem o objetivo de fortalecer a Política de Inovação Tecnológica da UEMS por meio do reconhecimento de projetos e invenções com potencial inovador.

Após as etapas de divulgação do edital e seleção das propostas, avançou-se para a etapa de análise e seleção das propostas vencedoras do Prêmio: são seis na Categoria Faísca e onze na Categoria Ascensão. As propostas estão nas áreas de ciências agrárias, engenharias, biomoléculas, cultivares, saúde e interdisciplinar.

Para a Pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação, Luciana Ferreira da Silva, a  perspectiva se configurou como uma ação importante já que o objetivo era mapear o que há de projetos de inovação ou as primeiras ideias de projetos. “Para que a partir daí a Pró-reitoria pudesse estruturar um plano de trabalho para atender estas propostas, difundí-las e dar o apoio na operacionalização. Esse prêmio Inova é de certa forma o reconhecimento dos pesquisadores que estão há muitos anos trabalhando nessa perspectiva. Agora o nosso ideal é de fato que consigamos dar o apoio para que essas ideias floresçam”, destacou.

O coordenador do NIT-UEMS, Fabio dos Santos Barros, ressalta a satisfação com o retorno e engajamento dos pesquisadores que submeteram propostas nas mais diferentes áreas do conhecimento, “é motivador saber que nas diferentes regiões do Estado de Mato Grosso do Sul, em que a UEMS está presente, existem projetos inovadores que certamente refletem em desenvolvimento científico, social, ambiental e financeiro, sendo função do NIT-UEMS incentivar e proteger as inovações criadas. Neste sentido, a primeira edição do Prêmio Inova-UEMS celebra a criatividade, empreendedorismo e dedicação da comunidade acadêmica da UEMS em benefício da população sul-mato-grossense”.

A docente Luiza Cristiane Fialho Zazycki, da área de entomologia, propôs um projeto relacionado a investigação de uma nova fonte de alimento para conferir o suporte proteico necessário na alimentação animal, ela acredita que as ações de inovação só fortalecem as linhas de pesquisa que temos na Unidade. “Assim como meus colegas, estamos buscando produzir ciência de qualidade e profissionais tecnicamente preparados para o mercado, que a cada dia está mais exigente. Recebemos com alegria em nosso grupo de pesquisa, a oportunidade de dar visibilidade aos trabalhos que estão sendo realizados na UEMS Aquidauana”, disse  Luiza Zazycki.

 

A professora dos cursos de Direito e Pedagogia, Raquel Rosan Christino Gitahy, da UEMS em Paranaíba, inscreveu um projeto voltado aos estudantes de direito e desenvolvido com base na metodologia ativa gamificação e viu o edital como uma oportunidade dos docentes evidenciarem em suas ações inovadoras e divulgar como a Universidade é criativa.

“Eu e a professora, Drª. Cláudia Karina ladeia Batista, docente do curso de Direito, desenvolvemos um game de direito empresarial, um produto que não existe no mercado e pode tornar as aulas realmente ativas. Com o game os alunos desenvolverão competências e habilidades sócio emocionais, capacidade de resolver problemas, ser ativo, criativo além de aprender o conteúdo de Direito empresarial. O Prêmio fortalece o ensino e também a pesquisa já que temos produzido bastante na área de metodologia ativa, inclusive na área do Direito”, enfatizou.

 

José Carlos Rosa Pires de Souza, professor do curso de Medicina da Unidade de Campo Grande, da área de psiquiatria e saúde mental, participa do prêmio com dois projetos: “Montagem da Peça Teatral “Monólogo Sobre Suicídio” e “Palavras-Cruzadas de Psicopatologia”. “Essas ações como o primeiro prêmio Inova UEMS fortalece muito a linha de pesquisa porque nos incentiva a estar divulgando o nosso trabalho de alguma forma a toda a comunidade científica e também a toda a sociedade em geral que necessita e muito das universidades para a propagação de desenvolvimento científico e tecnológico através de ações do prêmio Inova UEMS”, destacou.

A proposta da  professora Cristiane Meldau de Campos, da área de piscicultura, partiu de uma iniciação científica e, posteriormente, foi ampliada para uma dissertação de mestrado, a qual teve como objetivo geral, avaliar a produção de curimba em sistema de bioflocos, que é uma tecnologia de produção que surgiu para elevar a produtividade.

“A perspectiva para a continuidade de projetos inovadores é grande. Em praticamente todos os aspectos das pesquisas nós temos urgência em produtos inovadores. Na área aquícola, as demandas são inúmeras e desafiadoras, pois a aquicultura no Brasil vêm aumentando dia após dia, e a busca por alimentos de qualidade e pelo aumento nas produções que possam ser intensificadas, de forma que sejam viáveis economicamente e ambientalmente seguras tem sido claramente observado nas últimas décadas. Então, precisamos inovar em produtos, serviços, processos e divulgação dos mesmos (marketing)”, ressaltou.


Anexos: