UEMS de Dourados recebe palestra temática na Campanha Setembro Amarelo

Por: Rubens Urue | Postado em: 11/09/2017

José Carlos Pires, psiquiatra e professor do curso de Medicina da UEMS, durante palestra

Nesta segunda-feira (11) a Unidade da UEMS de Dourados recebeu a palestra "Suicídio: Conhecer para Prevenir", proferida pelo psiquiatra José Carlos Rosa Pires, docente do curso de Medicina da Universidade, como uma ação institucional dentro da campanha Setembro Amarelo, com o objetivo de informar sobre essa temática. A atividade foi organizada pela Divisão de Desenvolvimento de Pessoas (DDP), vinculada à Pró-reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (Prodhs) e teve como público-alvo a comunidade universitária.

"Todos os anos são registrados cerca de 10 mil suicídios no Brasil e mais de 1 milhão no mundo. Vivemos uma epidemia mundial de suicídios. E precisamos falar sobre isso", afirmou o psiquiatra José Carlos Rosa Pires que, durante sua exposição, apresentou dados preocupantes do Ministério da Saúde que apontam que o Estado de Mato Grosso do Sul é o segundo do país em número de suicídios. Para o professor da UEMS, o assunto é questão de saúde pública e deve ser levado a sério por governos, entidades e instituições.

Entretanto as abordagens sobre o tema sofrem resistência, pois o maior empecilho é o tabu que o assunto ainda representa na sociedade. "O suicídio é um fenômeno presente ao longo da história, em todas as culturas. É um comportamento com determinantes multifatoriais e com uma interação de razões psicológicas e biológicas, inclusive genéticos, culturais, econômicos e sociambientais", afirmou Pires.

Para enfrentar as mortes causadas que constam nas alarmantes estatísticas, o professor de Medicina da UEMS aponta que a melhor prevenção é estar a atento a certas atitudes de pessoas com potencial suicida. Para ele, a vida moderna tende a isolar as pessoas pois a correria do trabalho e demais atividades sobrecarregam os indivíduos. "Precisamos escutar mais as pessoas próximas de nós. Pesquisas indicam que dois terços das pessoas que cometem suicídio falam sobre suas intenções antes de consumar o ato. E nessa lógica social imediatista, cada vez mais cedo, o suicídio se torna mais comum entre crianças, adolescentes e idosos", ressaltou Pires.

Sendo a temática um assunto delicado, Pires finalizou sua palestra reforçando que a informação é a mais importante forma de se combater esse mal. "Estamos falando de um assunto de vida ou morte e nesse processo não cabe preconceito, isso é algo que deve ser desconsiderado em abordagens sobre o suicídio. É necessário ouvirmos o que a pessoa fragilizada tem a dizer. Muitas vezes um pouco de atenção dispensada e uma correta orientação pode salvar uma vida", ressaltou o psiquiatra. 

Acompanharam a palestra o vice-reitor Laércio de Carvalho, as pró-reitoras Adriana Rochas (Prodhs), Márcia Alvarenga (Proec) e João Mianutti (Proe), além de servidores da UEMS, alunos e demais membros da comunidade universitária. A palestra será disponibilizada, na íntegra, a partir desta terça-feira (12) em canal da Assessoria de Comunicação da UEMS no YouTube e poderá ser acessada gratuitamente. A chamada de disponibilização do vídeo será anunciada na fanpage da Universidade.

Serviço

Entidades como o Centro de Valorização da Vida (CVV) são referência no atendimento de pessoas em risco de cometerem suicídio. A partir do dia 30 de setembro o CVV passará a atender gratuitamente pelo 188 em Mato Grosso do Sul.

O CVV presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os atendimentos anuais são realizados por 2 mil voluntários pelo telefone 188 ou 141 (de acordo com a região), pessoalmente em postos de atendimento ou por meio do site, via chat, Skype e e-mail.