UEMS, ITAIPU e SEMAGRO discutem desenvolvimento territorial sustentável no MS

Por: Rubens Urue | Postado em: 17/09/2021

Reunião interinstitucional ocorreu de modo virtual

Nesta quinta-feira (16) o reitor da UEMS, prof. Dr. Laércio Alves de Carvalho, os gerentes de Unidade, prof. Dr. Leandro Marra (UEMS/Mundo Novo) e prof. Dr. Elói Panachuki (UEMS/Aquidauana) se reuniram virtualmente com o o Superintendente de Gestão Ambiental da ITAIPU Binacional, Ariel Scheffer, se reuniram com o Secretário de Estado da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, para apresentar o projeto desenvolvido pela UEMS de Mundo Novo em parceria com a ITAIPU Binacional nas regiões do Cone-sul e Sul-fronteira de MS, e discutir parcerias futuras em prol do desenvolvimento territorial sustentável em Mato Grosso do Sul.

Acompanharam a reunião os docentes da UEMS/Mundo Novo prof. Dr. Leandro Fleck (coordenador do curso de Tecnologia em Gestão Ambiental) e o prof. Dr. Jean Rosset (coordenador do curso de Agronomia) e Rogério Beretta, Superintendente de Agricultura da Semagro. Durante a reunião, os professores da UEMS/Mundo Novo apresentaram ao secretário da SEMAGRO a estrutura atual da Unidade Universitária, e principalmente a estrutura laboratorial de pesquisa e extensão que está sendo construída a partir do convênio firmado com a ITAIPU Binacional no valor de R$ 8 milhões referente ao projeto “Laboratório de Fertilidade do Solo, Herbário e Ações Socioambientais e Técnico-científicas na região do Cone-sul de Mato Grosso do Sul”.

O gerente de Unidade da UEMS, Leandro Marra, explica que o projeto envolve a construção e instrumentalização de toda a estrutura laboratorial, denominada 'Parque Analítico' da UEMS de Mundo Novo, além de um Herbário (que será o primeiro da UEMS e o único localizado exclusivamente no bioma Mata Atlântica no Estado).

"A UEMS de Mundo Novo contará com um 'Parque Analítico' composto por vários laboratórios, sendo eles: Fertilidade do Solo, Física do Solo, Matéria Orgânica do Solo, Espectrometria de Massas, Espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear, Cromatografia Gasosa e Cromatografia Líquida", informa Marra. De acordo com o docente Jean Rosset, esses laboratórios terão capacidade de analisar uma grande diversidade de matrizes de amostras, a exemplo de análises de solo, água, plantas, resíduos, metais pesados, gases, fertilizantes e corretivos, "com fins de pesquisa, mas também de extensão, como a possibilidade de realizar análises químicas e físicas de solos para produtores rurais do sul do estado de Mato Grosso do Sul", detalha Rosset.

Num exemplo, os docentes da UEMS Mundo Novo citam o Laboratório de Cromatografia Gasosa se  configura como um potencial aliado para analisar indicadores relacionados a neutralização das emissões de Gases Efeito Estufa (GEEs) no Estado. "Devido as peculiaridades do MS, em que se destacam as atividades agrícolas e agroindustriais, ocorre geração significativa de resíduos orgânicos, que poderão ser utilizados para a produção de biogás, uma fonte alternativa de energia e que apresenta uma das menores pegadas de carbono dentre os combustíveis disponíveis", detalha Rosset.

Para o professor Leandro Fleck, a robustez e confiabilidade das análises realizadas com o auxílio do Cromatógrafo Gasoso, possibilitará melhorar os sistemas de produção de biogás no estado, tornando uma fonte potencial de poluição atmosférica em uma fonte renovável de energia. "O Laboratório de Cromatografia Gasosa se constitui como um aliado para determinar os indicadores de emissão de carbono no Estado de Mato Grosso do Sul, atendendo diretamente o que está previsto no Plano Estadual de Carbono Neutro", destaca Fleck.

Crédito da foto: Tiago Zoz

Quando do funcionamento desta estrutura, a UEMS, juntamente com a ITAIPU Binacional e o Governo do Estado de MS, representado pela SEMAGRO, fortalecem a atuação conjunta em vários Programas Estaduais de Mato grosso do Sul, como o Programa Estadual de Acesso a Fertilizantes e Corretivos (Fertiliza MS), Programa Estadual de Manejo, Recuperação e Conservação do Solo e Água em Microbacias Hidrográficas do Rio Paraná, Programa Estadual de Irrigação, Programa de Restauração Ambiental da Bacia do Rio Iguatemi e Programa de Pagamento de Serviços Ambientais.

"É o tripé universitário, Ensino, Pesquisa e Extensão sendo incluídos nas Políticas Públicas Estaduais para contribuir com o desenvolvimento territorial sustentável através dos programas previstos no Plano Estadual de Manejo e Conservação do Solo de Mato Grosso do Sul. Precisamos unir forças para que as ações saiam do ambiente de planejamento e sejam executadas, de fato, tendo como entregas a melhoria da qualidade de vida da sociedade. O desenvolvimento territorial sustentável tem pressa, e a UEMS, a ITAIPU, a SEMAGRO e outros parceiros estão juntos neste desafio", enfatiza o gerente da UEMS de Mundo Novo, Leandro Marra.

"Essa iniciativa seguirá fortalecendo o Agronegócio Sul-mato-grossense, potencializando o aumento da produção e produtividade das áreas cultivadas, ao mesmo tempo protegendo o ambiente, a exemplo da possibilidade de contribuição nos programas de recuperação de áreas degradadas, controle do assoreamentos de corpos hídricos, entre outras possibilidades", finaliza o reitor da UEMS, Laércio de Carvalho.

Crédito da Foto: Marcelo Uliana

 


Anexos: