UEMS realiza abertura do 18º Encontro de Iniciação Científica

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 17/11/2020

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), por meio da Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (PROPPI), iniciou o 18º ENIC – Encontro de Iniciação Científica, nesta terça-feira (17), voltado aos alunos bolsistas PIBIC, PIBIC-AAF e PIBITI, ciclo 2019/2020, que receberam bolsa do CNPq, para que apresentem o resultado de suas pesquisas.

Neste ano, em razão da pandemia, o Encontro de Iniciação Científica está sendo realizado de forma on-line, e está sendo exclusivo para os 85 alunos que recebem bolsa CNPq apresentem o resultado de suas pesquisas. “Tivemos 82 trabalhos inscritos, o que demonstra a importância do evento, que terá programação até o dia 24/11, com apresentações de trabalhos dos alunos nas mais diversas áreas de conhecimento”, ressaltou a chefe da Divisão de Pesquisa, Cláudia de Souza Zanella.

A abertura ocorreu às 8h30 e contou com a presença da Pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Luciana Ferreira da Silva. Nesta terça-feira, os acadêmicos das áreas de Ciências Agrárias e Ciências Exatas e Terras apresentaram. Nos próximos dias ocorrerão também exposições das seguintes áreas: Ciências da Saúde; Ciências Biológicas; Engenharias; Ciências Sociais Aplicadas; Linguísticas, Letras e Artes; e Ciências Humanas.

O acadêmico, Thiago Luis Aguayo de Castro, do terceiro ano de Química Industrial da Unidade de Dourados, sob orientação da professora Claudia Cardoso, apresentou o trabalho intitulado TOXICIDADE DE EXTRATOS AQUOSOS DAS FOLHAS DE Campomanesia sessiliflora e Campomanesia guazumifolia em Artemia salina”, em que pesquisou sobre sobre a toxicidade do "chá" das folhas de guabiroba-verde e sete-capotes (espécies próximas da guavira).

“Os resultados apontaram que os extratos apresentaram baixa toxicidade neste modelo biológico (Artemia salina), agora é importante testar em outros modelos biológicos para garantir a segurança no seu consumo. Para mim está sendo super importante fazer iniciação científica, pois possibilitou apreender coisas que normalmente não se vê no meu curso (Química Industrial) por ser uma pesquisa aplicada. A prática auxilia muito na consolidação do conhecimento!”, destacou Thiago de Castro.

Michell Arce Centurião, acadêmico do 4° ano de agronomia, da UEMS em Aquidauana, disse que a iniciação científica foi de grande importância para a sua formação acadêmica, “pois a partir desta pude ampliar meus conhecimentos teóricos, que consequentemente me possibilitou experiências práticas em campo. O projeto que desenvolvi, agregou diretamente o curso de graduação e com certeza irá proporcionar engajamento na minha carreira profissional”, enfatizou o acadêmico que é orientado pelo professor Adriano da Silva Lopes.

O ENIC, que é organizado pela Divisão de Pequisa, está sendo realizado por meio do Google Meet (link:  https://meet.google.com/bsc-vxas-nki).

O horário de apresentação dos trabalhos e outras informações podem ser consultadas no site http://www.uems.br/pro_reitoria/pesquisa/iniciacao_cientifica 


Anexos: