Pantanal TECHMS: Vitrines tecnológicas e painéis de Nutrição Animal e da Carne demonstram tecnologia aliada a sustentabilidade

Pantanal TECHMS: Vitrines tecnológicas e painéis de Nutrição Animal e da Carne demonstram tecnologia aliada a sustentabilidade

Evento teve 17 Vitrines Tecnológicas

AQUIDAUANA
Por:Eduarda Rosa 08/07/2024 13:51

O Pantanal TECHMS levou a discussão diversas temáticas que envolvem a tecnologia, a sustentabilidade e a inovação no Pantanal nos setores da carne, nutrição animal, turismo, empreendedorismo, agricultura familiar dentre outras. Além de várias conferências e palestras, foram destaques na feira os Painéis Empresariais da Carne e da Nutrição Animal no Pantanal e as 17 Vitrines Tecnológicas. 

Vitrines Tecnológicas

Os participantes da feira puderam conhecer as mais inovadoras técnicas de criação e cultivo dedicadas à atividade produtiva sustentável no Pantanal e tiveram a oportunidade de conversar com pesquisadores, especialistas e técnicos renomados em suas áreas, para trocar experiências e conhecimento. 

O gerente da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) em Aquidauana, Tiago Pasquetti, explicou que todos os setores de produção vegetal e animal, nas áreas de Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia foram transformados em vitrines tecnológicas. 

“Em todas elas nós temos alguma exposição de inovações tecnológicas ou de projetos que podem gerar produtos tecnológicos e que trabalham também pensando na sustentabilidade, na agroecologia, na produção sustentável, na produção de uma carne mais sustentável, na correção, na adubação ou na fertilização dos solos ou no manejo e conservação de solos de uma forma mais sustentável. Todas as nossas vitrines tecnológicas, os nossos setores de produção, espalhados nos 806 hectares da unidade Universitária de Aquidauana, foram abertos para a visitação”, disse o docente.

Vitrines Tecnológicas: Bovinos de Corte: “Pecuária Pantaneira - Produção com Eficiência e Baixo Impacto”; Bovinos Pantaneiros: “O Futuro do Pantanal em Nossas Mãos: A Importância do Bovino Crioulo do Pantanal”; Irrigação: “Água na Agricultura: Utilização Racional dos Recursos Hídricos”; Suínos: “Zootecnia de Precisão e Sustentabilidade na Suinocultura”; Solos: “Manejo e Conservação de Solos”; Piscicultura: “Centro de Produção de Peixes do Pantanal Sul”; Florestal: “Sistema de Integração no Bioma Pantanal”; Ovinocultura: “Ovelha Pantaneira”; LAPIM - LACAEFA: “Padrões da natureza desvendados com auxílio da Inteligência Artificial”; Horticultura no Pantanal: Diversificação e Sustentabilidade; Cemap: “Conviver Silvestre - Manejo Integrado da Propriedade Rural para Mitigar Impactos com a Fauna Silvestre”; Cemap: “Incêndios Florestais”; Escalada UEMS; Avicultura: “Avicultura Agroecológica: Produção Sustentável no Cerrado Pantanal”; Laboratório de Conservação da Flora Pantaneira; Agroecologia e Tecnologias Sociais: “Estratégias Sociotécnicas e Socioeducativas para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar no Bioma Pantaneiro”; Controle Biológico: Casa de Vegetação do Laboratório de Fitossanidade. 

A doutoranda de Agronomia, Adriele Ferreira, que estava na Vitrine Tecnológica da olericultura, ressaltou que eles levam ao evento algumas tecnologias que mostram, tanto para o produtor plural ou para os estudantes que vem aqui, familiares, estudantes, a produção sustentável aqui no Pantanal, utilizando algumas técnicas que visam o aumento da produtividade e que aumenta a renda também do produtor.  “Eu trabalho na área de olericultura, desde a minha graduação até o momento, trabalhei com diversas culturas como rabanete, feijão-verde, cenoura, rúcula, então a gente trabalha com algumas técnicas para o produtor rural, os pequenos produtores - nosso foco principal são os pequenos produtores, para técnicas que visam esse aumento da produtividade deles e que diminuem seus gastos durante a produção”, explicou a doutoranda.

Giovanni Souza, Graduando de Engenharia Florestal, na Vitrine de Silvicultura, ressalta que o Pantanal TECH foi de extrema importância para os acadêmicos e também para sociedade no que tange a inovação, a toda parte de tecnologia, voltada diretamente para o Pantanal. “A gente vem sofrendo com as taxas de queimadas e também a visão da universidade para fora da população. Quem vem gente de fora, que não conhecia a universidade, ou tinha um olhar totalmente diferente da nossa universidade, chega aqui e vê que não é aquilo que pensavam e também vê o suporte que a gente tem para os acadêmicos. Tínhamos uma expectativa de como seria esse evento e ele superou todas as nossas expectativas”, disse o acadêmico. 


Painéis Empresariais

Os Painéis Empresariais da Nutrição Animal e da Carne levaram para o evento várias dinâmicas, palestras, encontros que reuniram os grandes atores do setor privado e instituições públicas para discutir sobre a qualidade da carne do Pantanal, do melhoramento genético destes animais, da nutrição animal para o Pantanal.

“Sempre focando no que a gente pode fazer para que realmente tenhamos e proporcionamos ao Pantanal uma produção mais sustentável. O Pantanal TECH MS foi idealizado com este objetivo de reunir vários atores de todas as áreas, seja da nutrição, seja da produção de carne, seja da área do turismo, da área de agrárias, os empresários de diversos setores, inclusive gastronomia, aqui na UEMS de Aquidauana para que a gente possa a partir de então termos estas discussões, sempre em prol do Pantanal”, ressaltou o gerente da Unidade de Aquidauana, Tiago Pasqueti.

O “Painel Empresarial: Mercado da Carne no Pantanal” teve a “Estação da Carne”: uma área temática com estandes das empresas apresentando suas soluções, alternativas e oportunidades para a produção e comercialização da carne pantaneira.

O “Beef Papo” foi um espaço para palestras e debates, com muita interação com o público, abordando temas como Certificação de Valor da Carne Pantaneira, Alternativas de Comercialização para a Carne Produzida no Pantanal e Gestão da Pecuária Bovina no Pantanal.

E uma mesa-redonda especial, que ocorreu no dia 28/06, sobre “O Mercado da Carne no Pantanal - Do Pasto ao Prato”, especialistas das empresas compartilharam suas visões sobre as limitações, alternativas e oportunidades para o negócio da carne na região.

 

O “Painel Empresarial: Nutrição Animal no Pantanal” teve o espaço da “Estação Nutrição Animal” que foi uma área temática com estandes das empresas apresentando as mais novas tecnologias disponíveis para a região e oferecendo atendimento técnico e comercial.

Na “Conversa de Cocho” foram realizados debates e palestras abordando temas como a produção forrageira no Pantanal, métodos alternativos de suplementação e a interação entre pasto e suplemento. 

No dia 28/06 (sexta-feira), a mesa-redonda discutiu sobre “Nutrição de Animais em Pastejo no Pantanal”.